V Circuito de Montes Claros
2 e 3 de Julho


Achiles de Brito no Ferrari 275 GTB #7271GT
(Foto: Colecção Fernando Soares, via José Mota Freitas)


O V circuito de Montes Claros, disputou-se em 2 e 3 de Julho de 1966, organizado pelo Clube 100 à hora, com a colaboração de diversas entidades, entre as quais o Automóvel Club de Portugal, e foi a 1ª prova disputada em circuito nessa temporada.
Do programa constava três provas: Fórmula V, Turismo e Grande Turismo, Desporto e Protótipos, para além de uma de motos.


Os Ferrari presentes:

Nº22 - 250 LM #6119GT - António Peixinho
Nº42 - 275 GTB #7271GT - Achiles de Brito

A prova que oferecia maior expectativa, a « Taça Comissariado de Turismo» destinada aos Grande Turismo, Desporto e Protótipos, e que encerrou o programa, constava à partida com 17 concorrentes e compreendia 50 voltas ao traçado lisboeta.
Na 1ª fila da grelha de partida encontrava-se António Peixinho no Ferrari 250 LM (#6119GT), John Miles em Lotus Elan 26R e Aquiles de Brito no Ferrari 275 GTB (#07271GT).
Na partida os dois primeiros distanciaram-se imediatamente dos restantes concorrentes, tendo-se Aquiles de Brito atrasado devido a um pião na curva dos moinhos, perdendo mais de uma volta e caindo para o 16º lugar da geral. À 15ª volta António Peixinho desistiu, por avaria na caixa de velocidades, tal como o Suíço Charles Guenod em Lotus-Abarth (este à 4ª volta), o vencedor do mesmo circuito no ano anterior.
António Peixinho referiu ao jornal O Volante: "Uma avaria na caixa de velocidades impossibilitou-me de continuar em prova. O motor está a funcionar perfeitamente mas o problema da caixa não tinha solução rápida. Vamos ver se para Vila Real já tudo está arranjado."
Mais tarde verificou-se que o problema que fez Peixinho desistir fora um carreto da caixa de velocidades. 
Pierre Siebenthal, o co-proprietário com António Peixinho do 250 LM #6119GT, desistiu igualmente (22ª volta), com a embraiagem do seu Porsche "colada", tendo mostrado já nas boxes o seu descontentamento pelo toque que Achiles de Brito lhe havia dado, aquando do pião efectuado pelo piloto português, tendo referido: "Achiles de Brito pareceu-me um pouco nervoso a conduzir. No entanto o seu toque não teve nada a ver com a razão da minha desistência."


António Peixinho no Ferrari 250 LM #6119GT.
(Foto: Colecção Fernando Soares, via José Mota Freitas)

Achiles de Brito, desde o seu incidente logo na fase inicial, tinha efectuado uma excelente recuperação, sendo que a meio da corrida era já 4º classificado, atrás de Miles, Nogueira Pinto e Carlos Santos.
John Miles conseguiu então um avanço substancial sobre todos os outros, mantendo o Suíço Siebenthal o segundo lugar até à 22ª volta, altura em que uma avaria mecânica (embraiagem) o obrigou a desistir. O piloto Inglês parecia destinado a vencer a prova, quando à 31ª volta, parou também, na curva de Montes Claros, pois a bomba de gasolina deixara de funcionar. Embora conseguindo remediar a avaria, perdeu cerca de duas voltas para o novo comandante da corrida, Manuel Nogueira Pinto seguido por Carlos Santos e Aquiles de Brito.
 Na 36ª volta Aquiles de Brito, conseguiu ultrapassar os dois pilotos que o precediam. Encontrado novo comandante da corrida, a emoção concentrava-se também na empolgante recuperação que John Miles vinha a efectuar, mas com a prova já a terminar o piloto Inglês, que efectuou a volta mais rápida da corrida, apenas conseguiu ultrapassar Carlos Teixeira dos Santos e aproximar-se de Manuel Nogueira Pinto, que manteve o 2º lugar.

Achiles de Brito termina as cinquenta voltas ao sinuoso traçado lisboeta como vencedor.
(Foto: Colecção Manuel Taboada)

Foi o 4º triunfo de Aquiles de Brito, na pista de Montes Claros. Esta vitória terá sido muito provavelmente a mais brilhante da carreira de Aquiles de Brito.

As palavras de Achiles de Brito no final da prova: "Esta foi a vitória que mais gosto me deu. Tinha dois adversários que não esperava bater que eram o António Peixinho e o John Miles. Beneficiei da desistência do Peixinho e da avaria do Miles. No entanto, eu logo de início também tive os meus problemas e atrasei-me consideravelmente. Precisei de recuperar o atraso forçando a velocidade e acabei por ultrapassar o Nogueira Pinto que seguia à cabeça. Estou francamente satisfeito porque não contava com a vitória."

Achiles de Brito


Classificação final:

1º- Achiles de Brito - 50 Voltas, 1.14.30,76 / 109,9 Km/h
2º - Manuel Nogueira Pinto - 50 Voltas, 109,6 Km/h

Acabaram classificados mais oito pilotos
--------------------------------------------------------------------------
Não terminou:

António Peixinho (Desistiu à 15ª volta)

________________________________________________________________________________

XIII Circuito Internacional de Vila Real
9 e 10 de Julho


Os Ferrari de volta a Vila Real. Depois dos Sport dos anos 50, a vez dos GT


Após mais um dos tradicionais interregnos, Vila Real volta, passado oito anos, a acolher mais uma edição do Circuito Internacional. Foi a 13ª edição, que contou, tal como as anteriores edições do pós-guerra, com a presença de automóveis Ferrari. 


Os Ferrari presentes:

Nº53 - 275 GTB #7271GT - Achiles de Brito
Nº55 - 250 LM #6119GT - António Peixinho



Achiles de Brito estreou o 275 GTB em 1965, tendo conseguido até à participação em Vila Real, três vitórias: No Circuito de Vila do Conde de 1965, na Rampa da Pena e no Circuito de Montes Claros em 1966.

O 250 LM no Jardim da Carreira

Com somente cinco automóveis, a partida para a corrida viu logo o Lotus de John Miles destacar-se.

Contra a agilidade do Lotus e sobretudo a maestria de John Miles, pouco houve a fazer, e só restou a António Peixinho levar o 250 LM até ao segundo lugar na corrida.

Na penúltima volta da corrida, Achiles de Brito foi mais uma vítima da curva da salsicharia. Terminou classificado na quarta posição.


Classificação final:
Corrida de GT e Sport - II Taça da Cidade de Vila Real
25 Voltas x 6.925 m = 173,125 Km

1º - John Miles - Lotus Elan - 25 Voltas, 1.13.57,20
2º - António Peixinho - Ferrari 250 LM - 25 Voltas, 1.15.16,76
3º - Carlos Santos - Jaguar E - 24 Voltas, 1.13.59,85
4º - Achiles de Brito - Ferrari 275 LM - 23 Voltas, 1.10.56,88
5º - José Luis Lickfold - Alfa Romeo Giulietta - 20 Voltas, 1.14.40,70

V.M.R.: John Miles - 2.51,84 / 145,077 Km/h


(Artigo em actualização)